Dermatite Atópica - você tem ou sabe o que é?
Saúde

Dermatite Atópica – você tem ou sabe o que é?

Cerca de 25% das crianças podem apresentar a doença e até 7% dos adultos podem ter dermatite atópica.

 

A dermatite atópica é uma doença genética, crônica e não contagiosa da pele, bem comum na população brasileira. A doença pode vir acompanhada de doenças respiratórias como rinite alérgica e asma, mas varia de pessoa para pessoa. Em mim, a dermatite atópica aparece com mais frequência quando tenho constantes crises de ansiedade, quando me estresso demais ou quando está muito frio. Além disso, o contato com poeira e determinados produtos de limpeza costumam me deixar bem ruim.

 

QUAIS OS SINTOMAS?

Pessoas portadoras de dermatite atópica não possuem a barreira natural protetora da pele, então, costumam ter alergias, pele seca e lesões no pescoço, cotovelo e atrás dos joelhos. Essas são as áreas mais secas e espessas. Ainda assim, a dermatite atópica pode se manisfestar em diferentes partes do corpo. Coceira constante (principalmente no período da noite),

“Na maioria dos casos, os pacientes com dermatite atópica não possuem na pele a substância que auxilia no fator natural de hidratação que todas as pessoas possuem, sendo assim, é como se faltasse uma película gordurosa na pele do indivíduo e é essa película que protege das agressões externas. Uma das queixas mais comuns de quem tem a doença é o impacto na vida social, embora com alguns cuidados seja bastante possível aumentar o bem-estar do paciente”, explica a Dra. Ana Mósca, médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

A dermatite atópica costuma afetar a autoestima do paciente e sua interação social, tendo em vista que poucas pessoas de fato conhecem a doença e costumam fazer perguntas ou até mesmo cara de repúdio.

Dermatite Atópica - você tem ou sabe o que é?
lesões em período de crise
Dermatite Atópica - você tem ou sabe o que é?
lesões leves

COMO CUIDAR?

“Qualquer contato com superfícies ásperas, pelos, exposição solar ou produtos de higiene/limpeza tem efeito desencadeador. É importante que o paciente atópico viva em um ambiente limpo, sem odores e livre de objetos que possam acumular poeira. O apoio psicológico também pode ser útil ao paciente e à sua família”, afirma o Dr. Samuel Mandelbaum, médico dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Para controlar a dermatite atópica, é necessário identificar e controlar os fatores desencadeantes, além de medicação adequada. Alguns dos principais causadores da doença são: contato com materiais ásperos, poeira, detergentes e produtos de limpeza em geral, roupas de lã e tecido sintético, temperaturas extremas, infecções, alguns alimentos e o estresse emocional.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

QUAIS OS TRATAMENTOS?

Manter a pele hidratada é um dos tratamentos fundamentais. É importante que o hidratante específico para pele extra-seca seja aplicado duas vezes por dia, de preferência após o banho. Cremes e pomadas de cortisona também são eficazes no controle da doença, porém, devem ser indicados e usados corretamente para se evitar efeitos colaterais, o famoso efeito rebote.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A fototerapia é outra opção de tratamento, mas seu uso requer cautela e deve ser discutido com o médico. “Tratamentos com raios ultravioletas costumam ficar restritos apenas aos casos especiais e de difícil controle em razão dos efeitos colaterais da terapia”, salienta Samuel Mandelbaum. Existem também outros tratamentos alternativos, como acupuntura, vitamina D e âmbar báltico.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A Sociedade Brasileira de Dermatologia vem orientando a população com uma maior frequência, através das redes sociais. Assim, quanto mais informados estivermos, mais fácil é a busca por tratamento e mais fácil é para parentes e amigos ajudarem nessa jornada. Cuidado e empatia são peças fundamentais com portadores de dermatite atópica.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Vale ressaltar, que é muito importante procurar um dermatologista para saber qual é o melhor tratamento no seu caso. Dá para encontrar uma lista de dermatologistas associados à SBD e agendar a consulta: http://www.sbd.org.br/associados/

Nascida em São Paulo e criada em Recife, pisciana, publicitária, fotógrafa, viciada em seriados, tatuagens, tênis e apaixonada por azul.

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *