10 coisas que pessoas ansiosas fazem com frequência
Saúde

10 coisas que pessoas ansiosas fazem com frequência

Eu fui diagnosticada com Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) há alguns anos, mas demorei muito para entender e aceitar que não é possível controlar todos os meus sintomas e crises sozinha. Desde o ano passado, eu tenho tocado nesse assunto no meu Instagram e, após compartilhar nos stories 10 coisas que pessoas ansiosas fazem com frequência, mas nem todo mundo percebe, recebi pedidos para falar mais. Além disso, muitas amigas e amigos responderam meus stories, alegando se identificar com a maioria ou até mesmo todas as características citadas. Sendo assim, trouxe cada ponto com um pouco mais de detalhe.

 

1 – acordar e não conseguir dormir mesmo cansada(o).

É bem comum, termos dificuldade para dormir, mesmo após um dia longo e corrido. O nosso corpo está completamente exausto, mas a nossa mente está firme e forte, trabalhando a mil por hora. Algumas vezes, é necessário tomar remédios para controlar a ansiedade e conseguir dormir, Também acontece de dormir e acordar no meio da noite, sem um motivo concreto, e não conseguir voltar a dormir. Parece que o sono foi embora, mas foi a ansiedade que chegou sem convite.

2 – sentir-se exausta(o) demais em alguns dias para sair da cama.

Quando a dificuldade não está em deitar na cama, está em sair dela. Muitas e muitas vezes, acordamos com uma sensação de exaustão e o único desejo é o de seguir na mesma posição, no conforto da cama quentinha. Sair da cama muitas vezes significa encarar um mundo repleto de pessoas cruéis e egoístas, que podem nos deixar ainda mais tristes.

3 – recusar convites quando na verdade gostaria de aceitá-los.

Não é que eu odeie sair com minhas amigas e meus amigos, não é que eu esteja fazendo joguinho de difícil com o cara que eu gosto. Eu realmente me sinto triste quando recuso convites que na verdade eu gostaria de aceitar. Mas acontece que eu vivo me sabotando e, muitas vezes, as pessoas não entendem o meu receio de ter uma crise de ansiedade no meio da rua. Parece que é mil vezes pior!

4 – temer que o pior aconteça em absolutamente todas as situações.

Infelizmente, esses pensamentos dominam meus pensamentos quando eu menos espero. Se eu brigo com alguém, já acho que a pessoa me odeia para sempre, se eu não consigo falar com minha mãe, choro de desespero com receio de ter acontecido algo grave. Se o cara que eu tô saindo demora pra me responder, eu já acho que ele cansou de mim e vai me dar o famoso pé na bunda. Todos os dias trabalho para não ter pensamentos assim, mas muitas vezes é involuntário e inevitável.

5 – conversas passadas são constantemente relembradas em busca de algo negativo.

Um dia, uma semana, um mês, um ano… Não importa quando foi, se uma determinada conversa me entristecer por qualquer motivo, eu vou ficar relembrando como se ela tivesse acabado de acontecer. É bem comum ficar relembrando, repassando detalhe por detalhe. Minha memória traz de volta as falas, os emojis, os gestos, o tom de voz… Qualquer pequeno detalhe vem à mente para me fazer analisar o que teve de ruim. às vezes é cansativo demais.

6 – piorar ao ouvir a pergunta “está tudo bem com você?”.

Às vezes eu respondo que estou bem, porque eu sei que as pessoas não querem me ouvir de verdade. Outras vezes, eu estou entrando numa crise e, quanto mais eu escuto “está tudo bem com você?”, mais nervosa eu vou ficando e a falta de ar vai tomando conta de mim. Por isso, estou aprendendo a falar sobre isso com minhas amigas e meus amigos quando eu estou relativamente bem. Eu preciso que eles entendam o que realmente devem fazer e falar nesses momentos, assim, eles poderão cuidar de mim.

7 – sentir-se mal quando alguém demora para responder.

Sabemos que todos têm suas ocupações e que ninguém é obrigado a viver 24 horas por dia em função dos outros, mas me deixa muito mal enviar mensagem para alguém, ver a pessoa online e não receber uma resposta. Começo a me questionar se fiz algo para magoar a pessoa e caio naquele ciclo sem fim de repassar conversas antigas na cabeça até encontrar o que fiz de errado para a pessoa. Muitas vezes não há problema algum, mas a minha ansiedade tem essa mania terrível de me sabotar.

8 – entrar em desespero ao pensar demais no futuro.

Entenda que fazer planos a longo prazo, muitas vezes é bem complicado para pessoas com ansiedade. Convites com muita antecedência, promessas de coisas que não serão em breve… Esse tipo de coisa costuma ser um grande gatilho para pessoas ansiosas. Muitas vezes, o melhor é avisar sobre festas e roles com poucos dias, a menos que isso necessite de uma grana a mais e passagens de avião, por exemplo. Outro grande problema é se pegar pensando em como será a vida daqui 5 ou 10 anos. Eu, por exemplo, entro em desespero ao começar a imaginar esse tipo de coisa. Além de entrar em pânico quando começo a me imaginar idosa ou prestes a morrer. Não é drama, é desespero real.

9 – comparar com frequência a própria vida com a de outras pessoas da mesma faixa etária.

Com esse boom de redes digitais e influenciadores, é cada vez mais comum fazer comparações de nossas vidas com a de outras pessoas da mesma faixa etária, sejam amigos ou até mesmo desconhecidos. Ficamos comparando e nos perguntando onde foi que erramos para não estarmos no mesmo patamar. Acontece que redes sociais como o Instagram, tendem a ser locais com vidas falsas e relatos apenas de momentos felizes. Poucas pessoas realmente mostram também as coisas ruins, os próprios defeitos e coisas do tipo. Parece que as pessoas só mostram o glamour e nós, pessoas ansiosas caímos com frequência nessas armadilhas e, por muitas vezes, nos sentimos incapazes de vencer na vida.

10 – gastar mais tempo remoendo um erro do que buscando soluções.

Um dos nossos maiores erros é passar horas ou até mesmo dias remoendo o que fizemos de errado, no lugar de buscar soluções para não fazer mais aquilo. Pessoas ansiosas ficam presas em atitudes erradas e costumam se culpar por isso durante muito tempo, quando na verdade deveríamos sentar, refletir sobre o erro, descobrir onde e por qual motivos erramos e   trabalhar maneiras de não repetir novamente esses erros. Mas sabe como é, esse trabalho é bem difícil.

 

O colar de âmbar báltico pode ser um grande aliado nessas horas de angústia, pois com suas propriedades naturais de cura podem aliviar a ansiedade quando você mais precisa, aliando isso a outras atividades, tudo pode ficar bem! Outra dica importante, se você convive com alguma criança, observe seu comportamento. O blog Oxente Menina tem um post bem informativo sobre isso: 10 sinais de que seu filho é uma criança ansiosa. Você costuma ter algum outro sintoma além desses que citei aqui? Deixa nos comentários, vamos conversar mais sobre isso, fazer as pessoas entenderem e nos ajudarem.

Nascida em São Paulo e criada em Recife, pisciana, publicitária, fotógrafa, viciada em seriados, tatuagens, tênis e apaixonada por azul.

8 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *