Uncategorized

CAMPANHA – Doe Medula

Por Simone Bispo

Hoje vou falar de um assunto sério e que poucas pessoas dão atenção… Certamente, você já ouviu falar de leucemia, então, vou falar um pouco dela.

Quando você se torna doador, recebe uma carteirinha dessa

O QUE É LEUCEMIA?
Leucemia é o câncer das células brancas do sangue, os leucócitos. Esta doença começa na medula óssea (parte interna dos grande ossos, a “fábrica do sangue”) e se espalha para outras partes do corpo.
Há vários sub-tipos de leucócitos e, por isso, há diferentes tipos de leucemia. Normalmente, se divide nos dois principais grupos de células brancas: as leucemias linfocíticas ou leucemias mielóides.
Além disso, pode se apresentar de duas formas, a forma aguda ou a forma crônica,
dependendo da velocidade com que aparecem os sintomas e como ela evolui. Na forma aguda, as células são imaturas e não funcionam como deveriam, além de se reproduzirem muito rápido. Na forma crônica, as células são mais maduras e podem manter algumas das suas funções normais. O número de células malignas, neste último caso, aumenta vagarosamente.
Este tipo de câncer é o câncer mais comum nas crianças, mas pode acometer adultos e velhos, também. Nos jovens, a forma mais comum é a leucemia linfocítica aguda, e nos adultos, a leucemia mielóide aguda seguida da leucemia linfocítica crônica.

QUAL É O TRATAMENTO PARA LEUCEMIA?
A maioria das leucemias, independente do tipo e evolução, necessita de quimioterapia (medicamentos que destroem as células malignas).

Estes medicamentos podem ser dados na veia e, neste caso, é necessário que o paciente seja atendido num centro médico especializado em câncer e/ou leucemia, ou por via oral, quando o paciente recebe o medicamento, mas o toma em casa.
A quimioterapia pode ser dada sozinha ou, ainda, em combinação com outros tipos de tratamento, como: transplante de medula óssea, radioterapia, imunoterapia com interferon ou cirurgia.
A decisão de qual é o tratamento mais adequado é baseada no tipo de leucemia, na idade e nas condições clínicas do paciente, além das características genéticas da lihagem de célula do sangue que está alterada.
A Cris lançou a campanha e assim como eu, algumas blogueiras estão apoiando a causa!
Quer ajudar? Veja aqui onde ir no seu estado!

Veja aqui o passo a passo para se tornar um doador!



Leve o selinho para seu blog, Orkut, Facebook…





JUNTAS, PODEMOS FAZER MUITO MAIS!!!

Nascida em São Paulo e criada em Recife, pisciana, publicitária, fotógrafa, viciada em seriados, tatuagens, tênis e apaixonada por azul.

10 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.